Publicado em 14/02/2020 às 14h09.

Negromonte teve sobrevida porque STF errou endereço

Corte enviou correspondência sobre decisão para o Tribunal de Contas do Estado; ele é conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM)

Levi Vasconcelos

Com o afastamento determinado pelo STF em 20 de novembro do ano passado, Mário Negromonte, conselheiro do TCM, sobreviveu no cargo dezembro inteiro e janeiro também. Só agora a decisão está sendo cumprida, por um detalhe: ao mandar comunicá-la, o STF enviou a correspondência para o Tribunal de Contas do Estado (TCE), que a devolveu, explicando que Mário Negromonte era conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), e não de lá.

Quando soube do caso, o próprio TCM perguntou ao STF o que fazer. A resposta foi o comunicado oficial da decisão do afastamento.

O próprio Negromonte se afastou. No lugar dele, até o caso ser julgado, está o auditor Cláudio Ventim.

Levi Vasconcelos

Levi Vasconcelos é jornalista político, diretor de jornalismo do Bahia.ba e colunista de A Tarde.

PUBLICIDADE