Publicado em 04/07/2019 às 18h56.

Neto não cogita ceder por saída de Pimentel e se irrita com fogo amigo

Prefeito deu resposta dura nesta quinta e pela primeira vez não descartou rompimento com chefe do Legislativo de Salvador

Breno Cunha
Foto: Max Haack/Secom
Foto: Max Haack/Secom

 

O recado dado pelo presidente da Câmara Municipal, Geraldo Jr., na tarde de quarta-feira (3), de que ele pauta as votações na Casa da mesma forma que ACM Neto nomeia ou exonera secretários, chegou rapidamente ao gabinete do prefeito, no Palácio Thomé de Souza.

Nesta quinta, Neto desceu as escadas da sede da Prefeitura para fazer uma entrega, na Praça Municipal, e foi decidido a responder no mesmo tom que o chefe do Legislativo soteropolitano adotou.

Além de reafirmar o que disse o secretário de Mobilidade, Fábio Mota, sobre o projeto que isenta as empresas de ônibus do ISS, ACM Neto pela primeira vez não descartou romper com o presidente da Câmara. Minutos depois, Geraldo soltou nota ressaltando a parceria institucional e a amizade com o democrata.

O bahia.ba apurou que ACM Neto não admite a possibilidade de ceder à pressão de parte de sua base pela demissão de Alberto Pimentel (PSL). Especialmente por causa do processo de ‘fritura’ pelo qual passa o titular da Semtel (Secretaria Municipal de Trabalho, Esporte e Lazer).

Além disso, o prefeito tem se incomodado com críticas públicas de aliados, até porque entende que todos dependem dos cargos que possuem na gestão e precisarão dele na eleição de 2020.

As polêmicas protagonizadas pelo secretário incomodam os ocupantes da sala principal do Thomé de Souza, garantem assessores, mas não a ponto de a gestão ser prejudicada. Em miúdos: o bônus de ter o PSL ao lado é maior do que o ônus, por ora.

Vereadores da base, reservadamente, dizem que este clima de “guerra fria” entre Neto e Geraldo, com avanços e recuos de ambos os lados, deve durar até o ano que vem. Uma fonte diz que não interessa a nenhum dos dois lados um rompimento.

PUBLICIDADE