Publicado em 05/12/2019 às 11h25.

Pacote anticrime deve ficar para 2020 no Senado, diz líder do governo

“O ano praticamente acabou no Senado e tem o Orçamento", ressaltou

Redação
Foto: Agência Senado
Foto: Agência Senado

 

O líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), afirmou nesta quinta-feira (5) que o pacote anticrime, aprovado na Câmara na quarta (4), só será votado no Senado em 2020. “O ano praticamente acabou no Senado e tem o Orçamento. Então, no começo de 2020 a gente vai discutir o pacote”, disse ao blog da jornalista Andréia Sadi, no portal G1.

Segundo a publicação, Gomes acredita que não haverá resistências para manter o texto como foi aprovado na Câmara. Se houver mudanças, a matéria voltará ao Senado, o que atrasa ainda mais a finalização do pacote. “Não acredito em mudanças no texto porque a conversa será pacificada entre Câmara e Senado”.

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça, senadora Simone Tebet (MDB-MS), afirmou ao blog que foi uma “vitória” ter conseguido aprovar o texto este ano na Câmara. Ela teme que o projeto não seja apreciado no ano que vem por conta das eleições municipais. Por isso, defende acordo para que seja votado ainda em 2019.

“Depende do Davi [Alcolumbre, presidente do Senado]. Poderia tentar costurar com líderes um acordo. Vota este ano, mas não mexe no projeto. Pode ser bom negócio para quem não quer avançar no texto”, ressaltou.

O texto aprovado pelos deputados reúne parte do pacote anticrime apresentado no início deste ano pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, e parte do projeto elaborado pela comissão de juristas coordenada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

PUBLICIDADE