Publicado em 14/05/2019 às 13h03.

‘Perda de escuta do governo federal é muito ruim para a democracia’, diz Prates

Prefeitura de Salvador não adotará as mesmas diretrizes do governo federal no tratamento da dependência química de pessoas em situação de rua

Rodrigo Aguiar
leo prates foto luiz felipe fernandez
Foto: Luiz Felipe Fernandez / bahia.ba

 

A prefeitura de Salvador não adotará as mesmas diretrizes do governo federal no tratamento da dependência química de pessoas em situação de rua.

Na nova Política Nacional de Drogas, o governo defende enfatizar o modelo fa abstinência, e não mais da redução de danos.

“Nessa questão do uso de substâncias psicoativas, eu sigo muito mais os ensinamentos dos movimentos sociais e do professor Antônio Nery. A minha visão é mais de diálogo, de participação. Esse projeto não é meu. Se eu tive uma capacidade, foi a de escutar. Eu acho que essa perda da escuta do governo federal é muito ruim para a democracia”, afirmou o secretário municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza, Leo Prates, após lançar o projeto Sempre Cidadão, com uma série de ações voltada à população em situação de rua.

O secretário ainda voltou a criticar medidas adotadas pelo governo Bolsonaro na área social.

“Eu tenho uma visão destoante do governo federal em diversas questões. Eu discordo, por exemplo, da revogação daquele série de conselhos. Veja que aqui hoje nós fortalecemos alguns conselhos, como o Conselho do Idoso. Estamos em processo de reimplantação do Conselho de Direitos Humanos e estamos para implantar pela primeira vez o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos dos Animais. E pedimos à Câmara a autorização para ampliar o Conselho Municipal de Assistência Social”, declarou.

PUBLICIDADE

Mais notícias