Publicado em 07/11/2019 às 10h53.

Prefeitos queixam-se que só eles pagam a conta do óleo

'Não é justo que apenas a parte mais fraca, os municípios, assuma sozinha a conta de um desastre dessa magnitude'

Levi Vasconcelos

Leandro Ramos (PSB), prefeito de Igrapiúna e presidente do Consórcio Intermunicipal do Mosaico das APAs (áreas de proteção ambiental) do Baixo Sul (Ciapra), entidade que congrega os municípios de Valença, Taperoá, Cairu, Ituberá, Camamu e Maraú, além de Igrapiúna, vai pedir audiência com Rui Costa para dizer que até agora Estado e União muito pouco ajudaram os municípios atingidos pelo óleo.

– Não é justo que apenas a parte mais fraca, os municípios, assuma sozinha a conta de um desastre dessa magnitude.

O tom de Fernando Brito (PSD), prefeito de Cairu, onde fica Morro de São Paulo, é o mesmo:

– Estamos pagando a conta quase sozinhos. Temos tido menos receitas, mais despesas, e os entes maiores, demorando. Não vamos aguentar.

Drama em Camaçari

Manoel de Brito, presidente da Colônia de Pesca Z-14, que cobre todo o litoral de Camaçari (Itacimirim, Guarajuba, Arembepe, Jauá, Busca Vida e Barra do Jacuípe), diz que todos os pescadores da área, com quase 50 barcos, mesmo trabalhando em alto mar, no fundo, onde o óleo não chega, estão parados.

— A questão é que ninguém compra o peixe, e está todo mundo com os freezers cheios. Até acabar essa onda, vai ser isso, infelizmente.

Tiroteio na política

O estrago do óleo no litoral baiano descambou para o jogo político. O deputado federal Paulo Azi, presidente do DEM na Bahia, disparou contra Rui Costa dizendo que ‘beira o inacreditável o governador viajar de férias’, enquanto prefeituras tentam se livrar das manchas de óleo.

Rosemberg Pinto (PT), líder do governo na Assembleia, rebateu dizendo que nunca viu Azi cobrar soluções para nada de Bolsonaro. Em suma, a conta está aí, falta o pagante.

Levi Vasconcelos

Levi Vasconcelos é jornalista político, diretor de jornalismo do Bahia.ba e colunista de A Tarde.

PUBLICIDADE