Publicado em 11/01/2016 às 11h33.

Rui Costa defende Wagner: ‘Foco sobre o ex-governador é óbvio’

Rui vê "conspiração política" e diz que não vê irregularidade em doações recebidas da OAS pelo antecessor

Rodrigo Aguiar
(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

 

Durante a inauguração do Terminal de Integração de Passageiros Acesso Norte do metrô, na manhã desta segunda-feira (11), o governador da Bahia, Rui Costa, comentou sobre a citação do ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, em uma conversa com o presidente da OAS, Léo Pinheiro, investigado pela Operação Lava Jato. A gravação mostra que o petista prometeu ao empreiteiro, em 2014, ajudar na liberação de recursos para um convênio com uma ligação para o então ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, a fim de ajudar na liberação de recursos de um convênio.

Rui atrelou a citação de Wagner a uma “conspiração política”, disse que não vê irregularidade no caso e comparou a situação brasileira com a dos Estados Unidos. “O foco sobre o ex-governador é óbvio. Ele começou a reorganizar a base do governo. Com isso, já estão se voltado contra ele para tentar minar o governo federal. Não vi irregularidade. Eu e ele nos posicionamos contra o financiamento privado”, justificou.

O governador ainda usou o exemplo da política americana, que aceita o financiamento privado de campanha. “Lá, todos que financiam campanha, direta ou indiretamente, tem um grau de relação com o governo”, apontou.