Publicado em 10/08/2017 às 18h16.

Top 5: títulos de cidadãos soteropolitanos contestáveis

A polêmica em torno da "ovada" no título concedido ao prefeito de São Paulo, João Doria Júnior (PSDB), levantou alguns questionamentos

Alexandre Galvão

A polêmica em torno da “ovada” no título concedido ao prefeito de São Paulo, João Doria Júnior (PSDB), levantou alguns questionamentos. Um deles é: quem nada (ou pouco) fez pela cidade merece mesmo ser considerado cidadão soteropolitano?

Com foco na pergunta, o bahia.ba elencou cinco “cidadãos” da primeira capital do Brasil que poderiam ter suas titulações contestadas:

1) Paulo Borges

Foto: Reprodução/ Terra
Foto: Reprodução/ Terra

 

Produtor de moda e criador da São Paulo Fashion Week – uma das semanas de moda mais importantes do país – Paulo Borges recebeu a homenagem em 2010. A honraria foi concedida pelo vereador Paulo Câmara (PSDB).

Na justificativa, o tucano alega que Borges tem ligações com a cidade expressas “nos trabalhos de moda desenvolvidos por Paulo Borges. Na última edição do São Paulo Fashion Week, em junho de 2009, as cores afrobaianas do Ilê Aiyê, Timbalada, Cortejo Afro e Alberto Pita estiveram representadas em suas obras de destaque, enquanto eram expostos sons e imagens do Carnaval de Salvador”.

Segundo o projeto, Paulo Borges possui dois imóveis na Bahia – um na capital e outro em Arembepe. O empresário vem à cidade, basicamente, de carnaval em carnaval.

2) Paulinho da Força

Foto: Divulgação / Solidariedade
Foto: Divulgação / Solidariedade

 

Deputado federal pelo Solidariedade, Paulo Pereira – ou, Paulinho da Força, como é conhecido eleitoralmente – é natural de Porecatu, no Paraná. Ele foi agraciado com o título em 2016, como sugestão do vereador, hoje licenciado, Geraldo Júnior (SD), que tinha acabado de ingressar na legenda presidida pelo parlamentar.

Segundo o site da Câmara, a entrega do Título de Cidadão da Cidade de Salvador foi acompanhada por aplausos do público, que lotou o Plenário e as galerias. “Tenho gratidão a todos o vereadores por este título”, disse o novo cidadão soteropolitano.

Em setembro de 2015, o parlamentar virou reú no Supremo Tribunal Federal (STF) sob a acusação de ser beneficiário de um esquema que desviou recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Depois disso, Paulinho foi citado ainda na temida delação da Odebrecht.

3) Galvão Bueno

(Foto: Reprodução/SporTV).
(Foto: Reprodução/SporTV).

 

Narrador da Rede Globo, amado e odiado por muitos, Galvão Bueno também é cidadão soteropolitano. A homenagem foi dada em 2010, pelo vereador Paulo Magalhães Jr. (PV), conhecido por sua proximidade com os esportes, em especial o vôlei de praia.

Emocionado durante todo o evento, Galvão agradeceu pela homenagem e revelou a satisfação de receber o título. “A Bahia é o ritmo da Seleção na Copa da África. Aqui é o lugar mais representativo do nosso país e onde tudo começou. Sempre me orgulhei de ser carioca e agora vou poder bater no peito e dizer que também sou cidadão desta terra maravilhosa”, afirmou, à época.

Galvão é natural do Rio de Janeiro e também conhecido por ser muito controverso e por cometer gafes durante a transmissão de diversas modalidades esportivas.

4) Ricky Vallen

Foto: Divulgação/ CMS
Foto: Divulgação/ CMS

 

Natural de Volta Redonda (RJ), o cantor Ricky Vallen foi agraciado em 11/11/11 com o título pelo então vereador Pedrinho Pepê (PMDB). A justificativa do edil à época fez jus ao seu maior hit, “Sei Lá”: o ex-calouro do Programa Raul Gil era admirado pela sua família. Em entrevistas à imprensa, o artista, inclusive, patenteou que sequer conhecia a cidade.

“Desde que coloquei meus pés aqui, senti que minha vida estava prestes a mudar. A identificação e a paixão pelo povo baiano foram definitivas. Me senti baiano logo de cara, cheio de amor e alegria e sem rótulos. Pude ver de perto a energia que impera aqui nessa terra tão privilegiada. Senti toda a influência positiva dos orixás”, discursou o cidadão da Boa Terra.

5) Almiro Sena

Foto: Carol Garcia / AGECOM
Foto: Carol Garcia / AGECOM

 

Ex-secretário de Direitos Humanos da Bahia, o ex-promotor Almiro Sena é acusado de abuso sexual por funcionárias da pasta que comandava na esfera estadual. Desde 2009, no entanto, é cidadão de Salvador. O presente foi dado pelo ex-vereador Laudelino Lau (PSB).

“Essa homenagem é uma forma de reconhecimento do excelente trabalho feito por Doutor Almiro e a contribuição fundamental que ele tem prestado em defesa dos direitos humanos e da igualdade”, declarou o vereador, no evento.

Atualmente, Almiro Sena cumpre prisão domiciliar, com direito a banho de sol. Ele foi preso em consequência das acusações de abuso sexual.

PUBLICIDADE