Publicado em 23/03/2018 às 08h57.

Wagner: Carletto e Leão deram ‘baile a favor da unidade do grupo’

"Eu, pessoalmente, fico satisfeito porque são dois partidos da base. Muitas vezes dentro do grupo há ruídos de que um está querendo tirar deputado do outro”, afirmou o petista ao bahia.ba

Rodrigo Daniel Silva
Foto: Manu Dias/ GOVBA
Foto: Manu Dias/ GOVBA

 

O ex-governador e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner (PT), não quis atribuir tão-somente ao vice-governador João Leão (PP) o mérito da articulação para que o deputado federal Ronaldo Carletto continuasse no PP, evitasse ir para o PR e migrasse para base do prefeito ACM Neto (DEM).

“Não sei se foi ele [João Leão] quem deu [o baile na oposição] ou se foi o próprio Carletto que analisou. Eu, pessoalmente, fico satisfeito porque são dois partidos da base. Muitas vezes dentro do grupo há ruídos de que um está querendo tirar deputado do outro. Prefiro que as coisas se mantenham. Foi um baile positivo em favor da unidade do grupo”, disse Wagner ao bahia.ba, durante a inauguração do terminal de Pituaçu.

Lula – Sobre o julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula pelo Supremo Tribunal Federal (STF), Wagner afirmou que não deve comentar, só acatar, mas pregou confiança em uma decisão em favor do colega petista.

“Nós estamos pedindo para Lula o que a gente pede para todo cidadão […]. Espero que a serenidade volte ao Judiciário brasileiro, que a gente diminua esse ativismo televisivo em cima das coisas do Judiciário”, complementou.

Quanto às chances do ex-presidente se desvencilhar das pendências judiciais e sair candidato ao Palácio do Planalto, Wagner disse que o partido avalia entrar com um pedido liminar no Superior Tribunal de Justiça e defendeu que o ex-presidente “tem todo direito de participar dessa eleição”.