Publicado em 07/02/2019 às 12h02.

‘Achei que fosse morrer’, diz torcedor do Vitória agredido por integrantes da Bamor

Abimael usava camisa dos Imbatíveis, torcida do Vitória, quando foi abordado pelos acusados

Milena Teixeira
Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

 

O design gráfico Abimael Ammon Nascimento Costa contou ao bahia.ba que passou por momentos de terror na noite de quarta-feira (6). Ele afirma ter sido espancado por cinco integrantes da Torcida Organizada Bamor, do Esporte Clube Bahiaenquanto fazia atividade física, na cidade de São Sebastião do Passé, no interior do estado.

Abimael disse que foi abordado quando estava saindo de casa. “Eu estava fazendo meu cooper com a camisa dos Imbatíveis quando eles chegaram. Os cinco começaram a me bater, mas quem mais bateu foi o presidente. Eu achei que fosse morrer. Foi quase uma tentativa de homicídio”, afirmou a vítima.

Conforme o design, os agressores pediram para ele tirar a camisa.”Eles batiam, xingavam e falavam: ‘Tira a camisa, pô!'”. A vítima afirma ainda que foi atropelada depois do espancamento. Ele está com escoriações nas pernas, braços, nádegas e cabeça.

Prisão

Os cinco integrantes foram presos na noite da quarta-feira (6). Entre os agressores estão o presidente da Bamor, Sérgio Soares Brandão, 37, e outros integrantes da torcida: Tiago Tiburcio dos Santos, 33, Matheus Pires Castro, 28, e George da Silva Mata, 35.

“Recebemos informações pelo Centro Integrado de Comunicações (Cicom) sobre uma ocorrência de espancamento de um jovem praticado por cinco torcedores que estavam no veículo Hyundai IX 35, prata, placa policial NYH 7040, uniformizados com as vestimentas da torcida organizada do Bahia”, contou o tenente Hélio Nery da 95ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Catu), que comandou a ocorrência.

Com os agressores foram apreendidas duas facas tipo peixeira. Os cinco estavam indo para o jogo entre Bahia x Atlético da Bahia, no município de Alagoinhas. Na Delegacia Territorial de São Sebastião do Passé eles foram autuados por lesão corporal, formação de quadrilha e seguem à disposição da Justiça.

 

PUBLICIDADE