Publicado em 07/11/2019 às 12h46.

Com atraso de mais de duas horas, Sistema de Trens do Subúrbio volta a operar

Serviço que transporta 14 mil passageiros por dia no Subúrbio Ferroviário retornou à normalidade às 8h40 desta quarta-feira (7)

Redação
Foto: Wikimedia Commons
Foto: Wikimedia Commons

 

O único trem que opera no sistema de transporte ferroviário de Salvador voltou a funcionar nesta quinta-feira (7). O serviço, que transporta 14 mil passageiros por dia no Subúrbio Ferroviário retornou à normalidade às 8h40, com duas horas e quarenta minutos de atraso, portanto.

Desde a colisão de duas composições na última sexta-feira (1º), que deixou 47 pessoas feridas, o serviço funciona com único trem. Nesta quarta-feira (6), no entanto, o sistema funcionou das 6h às 11h, quando cessou o funcionamento para manutenção – a operação normalizou-se às 16h, mas voltou a ser interrompido às 19h, quando novamente apresentou falhas.

A frota do sistema baiano opera há 59 anos, de acordo com informações da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) – são 19 anos a mais do que a vida útil de equipamentos desse tipo.

O serviço, que percorre 13,5 km, ligando as estações Paripe e Calçada, custa R$ 0,50 – valor oito vezes maior que o ônibus – e é gerido pela Companhia de Transportes do Estado da Bahia (CTB), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Sedur)

Ao todo, o sistema conta com 10 estações: São elas: Calçada, Santa Luzia, Lobato, Almeida Brandão, Itacaranha, Escada, Periperi, Coutos, Praia Grande e Paripe. Em 2019 já foram transportadas 2,3 milhões de pessoas pelo sistema.

De acordo com a CTB, os trens encontram-se em manutenção corretiva para que voltem à funcionalidade de maneira eficiente, atendendo às demandas da população. A previsão de retorno dos trens envolvidos no acidente é para sexta-feira (8).

O sistema será substituído pelo governo do estado pelo Veículo Leve de Transporte (VLT) do Subúrbio, projeto que prevê a ligação entre o bairro do Comércio, em Salvador, à Ilha de São João, no município de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador.

Serão 20 kms de extensão, 22 estações e capacidade para transportar cerca de 150 mil usuários por dia. O modelo será do tipo monotrilho, movido à propulsão elétrica, sem emissão de agentes poluentes.

PUBLICIDADE