Publicado em 21/11/2019 às 21h00.

Taxista: bandeira 2 será facultativa e passageiro poderá escolher tarifa mais barata

Informação é do presidente da AGT, Denis Paim, que também sinaliza sobre a possibilidade de a categoria rejeitar reajuste anual pelo quarto ano consecutivo

Rayllanna Lima
Foto: Clôdes Carvalho/Taxista
Foto: Clôdes Carvalho/Taxista

 

A chegada do mês de dezembro trás para os taxistas a expectativa de conseguir capitar o 13º salário, a partir da cobrança de bandeira 2, prevista em lei municipal. Contudo, pelo quarto ano consecutivo, a cobrança da tarifa mais alta será facultativa.

A categoria mudou a forma de atuar em Salvador desde a chegada dos aplicativos de transportes, que ampliou a concorrência do serviço na cidade, conforme lembra o presidente da Associação Geral dos Taxistas (AGT), Denis Paim.

“A gente vem abdicando da bandeira 2 desde que os aplicativos entraram na cidade, mesmo sendo garantida por lei. Não temos férias, então era uma espécia de 13º salário pra gente. Mas a cobrança será facultativa, poucos [taxistas] vão aderir. O passageiro tem o direito de perguntar se vai na 1 ou na 2, com certeza o passageiro vai atender ao pedido”, disse ao bahia.ba.

Reajuste – Também pelo quarto ano consecutivo, os taxistas deverão rejeitar o reajuste da tarifa base, anualmente atualizada em janeiro de cada ano.

Uma enquete começou a circular entre os membros da categoria na quarta-feira (21), quando taxistas e permissionários deverão votar se querem ou não o aumento da tarifa. 

Na análise de Paim, o termômetro mostra que a categoria deve optar pelo congelamento do reajuste. A expectativa da associação é que registrem voto pelo menos 5 mil dos 7,2 mil taxistas que atuam em Salvador. A decisão deverá ser oficializada até o final de dezembro.

O último aumento ocorreu em 2016, quando o preço da tarifa foi reajustado em 10,48%, com a bandeirada passando, na época, de R$ 4,35 para os atuais R$ 4,81. Na mesma ocasião, o valor da bandeira passou a custar R$ 2,42 por quilômetro rodado e a bandeira 2 ficou em R$ 3,38, enquanto a hora parada subiu para R$ 24,12.

PUBLICIDADE