Publicado em 20/01/2021 às 17h39.

UGT faz protesto contra a Ford nesta quinta, em Salvador

'Estamos numa encruzilhada perigosa', afirmou o presidente nacional da União Geral dos Trabalhadores, Ricardo Patah

Redação
Foto: Sindicato dos Metalúrgicos/Divulgação
Foto: Sindicato dos Metalúrgicos/Divulgação

 

A União Geral dos Trabalhadores realiza amanhã um protesto contra o fechamento da Ford. O ato acontece em Salvador, durante executiva estadual da UGT, em Nazaré. O encontro terá a presença do presidente nacional da entidade, Ricardo Pattah. “Estamos numa encruzilhada perigosa”, afirmou o sindicalista.

“A saída da FORD, instalada no Brasil há mais de 100 anos, aponta para um caminho perigoso que é a desindustrialização. Isso sem contar que abandonou o país de forma intempestiva, sem dar nenhuma satisfação, depois de usar mais de R$ 7,5 bi de subsídios, nos últimos 5 anos, e ainda tomar um empréstimo do BNDES de R$ 350 mi”.

Para Magno Lavigne, presidente da UGT Bahia, cabe aos trabalhadores, defender os empregos. “Temos manifestações contra a Ford em vários estados brasileiros. Nos da UGT Bahia faremos de nossa reunião uma forma de protestar”.

Na segunda-feira (18), a montadora chamou alguns trabalhadores para retomar a produção de peças. A proposta foi rejeitada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari em razão da não negociação dos pagamentos das indenizações trabalhistas.

O ato da UGT terá o apoio do deputado federal Bacelar (Podemos).”Estamos em um ano pandêmico, com a economia parada. Temos que fazer alguma coisa urgente” enfatizou.