Publicado em 19/01/2022 às 11h01.

Limpeza correta ajuda a diminuir agrotóxicos em alimentos e evita doenças

Especialista em Nutrição da Unime explica forma ideal de higienizar frutas, legumes e verduras

Redação
Foto: divulgação FGV Ibre
Foto: divulgação FGV Ibre

 

Um alto teor residual de agrotóxicos chega à mesa das famílias brasileiras todos os dias. O resíduo de produtos químicos, utilizados na produção da maioria dos alimentos no Brasil para eliminar insetos ou ervas daninhas das plantações, acabam se depositando nestes alimentos e higienizar legumes, frutas e verduras da forma correta é a melhor maneira de reduzir o consumo desses defensivos e evitar doenças.

A nutricionista e coordenadora do curso de Nutrição da Faculdade Unime, Michele Melo, explica que limpar os alimentos com água corrente ou mergulhar hortaliças, legumes e frutas em uma solução com vinagre, limão ou bicarbonato de sódio não é o suficiente. “Esse hábito retira, no máximo, algum inseto ou terra que estejam presos nos alimentos e uma pequena parte dos agrotóxicos que possam estar nestes alimentos”, comenta.

Além dos agroquímicos, alimentos mal lavados podem gerar doenças como hepatite, verminoses, leptospirose, entre outras. Microrganismo patogênicos podem ser encontrados na casca de verduras e frutas pelo contato com o solo, fertilizantes, água não potável e até mesmo com dejetos de pombos, ratos ou outros animais, que podem aparecer no local onde foram cultivados.

O processo de limpeza deve acontecer em duas etapas. “A primeira ação é fazer o que chamamos de arraste: quando esfregamos os alimentos individualmente para ‘arrastar’ a sujeira”, recomenda a docente. “As folhas podem ser lavadas com as mãos ou utilizando uma escova. O importante é remover a sujeira de superfícies rugosas, como a casca de cenouras e chuchus, por exemplo” completa.

Em seguida, o indicado é deixar os ingredientes por 10 ou 15 minutos em uma mistura de água com hipoclorito de sódio (água sanitária). “Depois basta enxaguar e usar um pano limpo para secar ou deixar secar naturalmente”, completa. “A solução também pode ser feita com água oxigenada 10 volumes como substituição, mas o produto pode absorver algum sabor”, acrescenta.

Outra dica para diminuir o volume de agrotóxicos nas refeições é optar por frutas, legumes e verduras da estação na hora de fazer as compras. “Estando no período natural para florescer, são utilizados menos agroquímicos nos produtos, fazendo com que eles sejam mais nutritivos e saudáveis”, explica a coordenadora. “Esta dica vale também para os alimentos regionais, que demandam menos o uso de defensivos, já que não percorrem longas distâncias até os supermercados”, diz.

Uma outra opção também pode ser a escolha de alimentos orgânicos. “São aqueles alimentos produzidos sem uso de agrotóxicos sintéticos, transgênicos ou fertilizantes químicos. As técnicas do processo de produção respeitam o meio ambiente, a saúde do trabalhador agrícola, a do consumidor e têm como objetivo manter a qualidade do alimento”, conclui.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.