Publicado em 29/05/2020 às 15h22.

Projeto Tamar esclarece que base em Arembepe não será fechada

De acordo com uma nota divulgada pela instituição, a portaria publicada não se refere às estruturas do projeto

Bianca Rocha
Foto: Aurélio Nunes/bahia.ba
Foto: Aurélio Nunes/bahia.ba

 

O Projeto Tamar afirmou, em uma nota divulgada nesta sexta-feira (29), que as bases do projeto em Camaçari, na Bahia, Parnamirim, no Rio Grande do Norte e Pirambu, em Sergipe, não irão fechar, como foi afirmado em uma portaria publicada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), subordinado ao Ministério do Meio Ambiente.

Segundo a instituição, a portaria não se refere às estruturas do Projeto Tamar/Fundação Pró-Tamar localizadas nos três estados.

De acordo com o comunicado, o Projeto Tamar é uma instituição privada, sem fins lucrativos, que tem como missão proteger as cincos espécies de tartarugas marinhas que vivem nos mares brasileiros. Por cauda da pandemia, todas as atividades do projeto estão suspensas, mas a medida é temporária. As estruturas de arrecadação (centro de visitantes e lojas) também estão fechadas.

Em nota, o Ministério do Ambiente explicou que a portaria apenas tornou pública a atualização dos endereços dos centros de pesquisa e bases avançadas do ICMBio e que “as Bases Avançadas em Parnamirim/RN, em Pirambu/SE e em Arembepe, Camaçari/BA já tinham proposta de encerramento de suas atividades desde o ano passado (2019), vez que não contavam mais com servidores que realizassem as atividades finalísticas, cuja proposta foi do próprio Centro de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade do Leste – TAMAR”.

A Bahia possui quatro bases do projeto: Arembepe, Praia do Forte, Sauípe e Mangue Seco.