Publicado em 02/12/2020 às 12h47.

Com voto contrário do Brasil, ONU retira maconha da lista de drogas mais perigosas

No total, 27 países votaram pela reclassificação e 25 foram contrários, houve apenas 1 abstenção

Redação
Foto: Reprodução/Twitter
Foto: Reprodução/Twitter

 

A Comissão para Narcóticos da Organização das Nações Unidas (ONU), composta por 53 Estados-membros, aprovou nesta quarta-feira (2), a retirada da maconha para uso medicinal da lista de drogas perigosas.

Ao lado da heroína, a cannabis era considerada como uma das drogas mais perigosas do mundo, lista da qual fazia parte desde 1961. Para a reclassificação da planta, foi considerada uma série de recomendações feitas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O governo brasileiro se posicionou de forma contrária a exclusão da maconha da lista, assim como a China, o Egito, a Rússia e a Turquia.

No total, 27 países votaram pela reclassificação e 25 foram contrários, houve apenas 1 abstenção. Na América Latina, os governos do Uruguai, da Colômbia, Equador e México votaram a favor da decisão.

Atualmente, cerca de 40 países já reconhecem o uso medicinal da maconha. A ONU espera que a decisão abra a possibilidade de outros governos tomarem o mesmo caminho.