Publicado em 08/08/2020 às 12h00.

ACM Neto bate o martelo e autoriza funcionamento de bares, restaurantes e salões de beleza

Decreto será publicado no Diário Oficial de Salvador neste fim de semana e começa a valer a partir de segunda-feira (10)

Redação
Foto: Divulgação/Secom
Foto: Divulgação/Secom

 

Agora é oficial. O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), bateu o martelo neste sábado (8) e decretou que o início da fase 2 da retomada econômica da cidade, autorizando o funcionamento de bares, restaurantes, salões de beleza e similares a partir de segunda-feira (10).

“Estamos iniciando a fase dois com folga em todos os critérios estabelecidos conjuntamente entre Prefeitura e governo do Estado. A taxa de ocupação de leitos de UTI (para pacientes com a Covid-19) registrou ontem 59%, bem abaixo do máximo de 70% exigidos. Além disso, completamos ontem seis dias com a taxa abaixo dos 70%, quando seriam necessários apenas cinco, e nem estamos contando hoje e nem amanhã”, disse, em coletiva virtual à imprensa.

 

Conforme edição extra do Diário Oficial do Município (DOM) que será publicada neste final de semana, poderão reabrir, além dos já listados, academias de ginástica e similares, barbearias, centros culturais, bibliotecas, museus, galerias de arte e lanchonetes.

Segundo o prefeito,  para atender ao novo momento de retomada, a frota de ônibus circulando na cidade será reforçada a partir de segunda. Estarão nas ruas 80% do total de ônibus, o que corresponde a 1.770 veículos, uma ampliação de 10% em relação à fase um da reabertura econômica.

ACM Neto anunciou ainda a ampliação da fase um da reabertura, que teve início no dia 24 de julho e que contemplou shoppings, centros comerciais, lojas de rua acima de 200 metros quadrados, templos religiosos e eventos em sistema drive-in. Nessa segunda etapa da fase um, as praças de alimentação dos shoppings poderão reabrir, também a partir de segunda (10), com 50% da ocupação (antes, estavam autorizadas a funcionar apenas no modelo delivery ou retirada no balcão). Foi ampliada ainda para quatro funcionários a cada 100m² a realização de obras em imóveis habitados.

O prefeito lembrou que essas etapas em cada fase da retomada visam garantir a segurança e a saúde das pessoas, tanto trabalhadores quanto consumidores. Um dos exemplos é que, na fase dois, salões de beleza e barbearias só poderão reabrir com 30% da capacidade, estando proibidos serviços de barba, maquiagem ou qualquer outro que envolva a retirada da máscara por parte do cliente. Em uma nova etapa, após avaliação técnica dos impactos da fase dois no sistema de saúde, isso poderá ser alterado

Números – Os números apresentados pelo prefeito na coletiva demonstram o enfraquecimento da doença na capital, graças às medidas adotadas pelo município em conjunto com o Estado. Essas medidas vão desde a suspensão de atividades à adoção de protocolos para a retomada de setores de forma segura, além da ampliação do número de leitos de UTI para pacientes com Covid-19.

No dia 14 de maio, Salvador concentrava 70% dos casos da Bahia e 71% dos óbitos do estado. Atualmente, esses números caíram, respectivamente, para 33% e 55%. Ontem (07), a cidade chegou a 61.403 casos de Covid-19 confirmados e 2.096 óbitos.

A curva de novos casos manteve a tendência de desaceleração,mesmo com a retomada de atividades econômicas, religiosas e culturais. Entre os dias 24 de julho, quando teve início a fase um da reabertura, e 1° de agosto, houve um recuo de 41% quando a comparação é feita na média móvel dos casos dos últimos sete dias com a mesma medida há 14 dias anteriores.

O mesmo comportamento é observado na curva de óbitos, quesegue em queda constante desde a 26ª semana epidemiológica. Na primeira semana de reabertura, o recuo foi de 41%, utilizando o mesmo critério de comparação (da média móvel).

A redução das taxas de crescimento de novos casos eóbitos evidenciam um baixo risco na evolução da Covid-19. Além disso, o fator que mede a capacidade de uma pessoa com o novo coronavírus contaminar outra na cidade, chamado de RT, alcançou, mesmo com a retomada de atividades, o índice de 0,3, o mais baixo já registrado.

“Todo esse conjunto de indicadores aponta para um cenáriofavorável de avanço para fase dois, com um ambiente de plena segurança, o que buscamos desde o princípio, afastando qualquer risco de descontrole da pandemia na capital e de termos que retroceder. Outro dado importante é que o tempo de espera de pacientes com a Covid-19 aguardando regulação das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) para hospitais cai a cada dia, graças à eficiência de um trabalho da Prefeitura com o governo do Estado”, ressaltou ACM Neto.

Ele destacou que os leitos de UTI adulto exclusivos Covid-19 não tiveram ocupação maior em função da retomada de atividades na fase um. Ocorreu justamente o oposto, com queda intensa na taxa de ocupação. No dia 30 de julho, foi de 68%; em 31 do mesmo mês, de 70%; em 4 de agosto, 68%; um dia depois, de 67%; no dia 6, de 60%; e ontem (07), de 59%.

Praias e escolas – Durante a coletiva, ACM Neto reforçou que a reabertura das praias e escolas, áreas que não estão incluídos no faseamento acordado com o governo do Estado, dependerá de uma avaliação dos impactos da fase dois, o que só será mensurado 15 dias depois de segunda-feira (10). “Se tudo ocorrer bem, se a doença seguir controlada e com percentuais em queda, poderemos apresentar protocolos para a retomada do ano letivo e das praias”, frisou.

Entenda o faseamento – Segundo o protocolo elaborado pela Prefeitura e governo do Estado, a liberação das atividades econômicas, culturais e religiosas na cidade se dará em fases que estão ligadas ao percentual de ocupação dos leitos de UTI exclusivos para tratar pacientes com a Covid-19 na cidade.

Para que Salvador entrasse na fase um, que começou no último dia 24, a taxa de ocupação dos leitos precisava estar em no máximo 75%, permanecendo assim por cinco dias. Nessa fase, foram reabertos para atendimento presencial shoppings centers e centros comerciais, lojas de rua acima de 200 metros quadrados, templos religiosos e eventos no sistema drive-in, todos com protocolos específicos de funcionamento.

Para o começo da fase dois, foi antes necessário um ciclo de intervalo de 14 dias em relação à fase um. Além disso, foi preciso que, durante cinco dias, a taxa de ocupação dos leitos permanecesse em no máximo 70%, o que se concretizou na última quinta-feira (06).

Para ingressar na fase três, a regra é a mesma, só que a taxa de ocupação de leitos exclusivos para tratar pacientes com a Covid-19 deve ser de no máximo 60%. Nesse terceiro momento, poderão reabrir parques de diversões e parques temáticos; teatros, cinemas e demais casas de espetáculos; clubes sociais, recreativos e esportivos; centros de eventos e convenções.