Publicado em 19/09/2020 às 13h00.

Adesão do Brasil à aliança mundial prevê vacina para apenas 10% da população

Acordo prevê compra de montante que não atenderá necessidade de aplicação de duas doses por pessoa

Redação
Foto: Carolina Antunes/PR
Foto: Carolina Antunes/PR

 

A decisão do governo brasileiro de aderir à aliança mundial de vacinas (Covax) contra a Covid-19 garantirá a compra de 42 milhões de doses do imunizante, um abastecimento suficiente para apenas 10% dos brasileiros.

A informação é do jornalista Jamil Chade, colunista do portal UOL, que teve acesso a detalhes do acordo bilateral, anunciado na noite de sexta-feira (19).

A projeção se dá diante da possibilidade de que sejam necessárias duas doses da futura vacina por pessoa.

Antes de ser fechada, a aliança permitia que governos optassem por uma adesão que variasse entre 10% e 50% da população. Uma vez comprometido com o valor, o governo não poderia mudar de ideia. O Brasil optou pelo menor volume permitido na aliança.

Ainda de acordo com Jamil Chade, o governo terá de depositar até dia 9 de outubro a primeira parcela do pagamento, considerando um valor médio de US$ 3,10 por dose. No total, a dose custará cerca de US$ 10,00. No próximo mês, portanto, Brasília terá de desembolsar cerca de US$ 130 milhões.

Mesmo com o acordo, o Brasil poderá optar por dar prioridade ao seu acordo á fechado com a AstraZeneca.