Publicado em 18/01/2021 às 21h31.

AGU: Governo Federal foi informado do ‘iminente colapso’ da saúde no Amazonas

Em ofício ao STF, Advocacia-Geral da União disse que Ministério soube da situação dez dias antes da crise sanitária

Redação
Foto: Divulgação/Sesab
Foto: Divulgação/Sesab

 

Um ofício enviado para o Supremo Tribunal Federal (STF) pela Advocacia-Geral da União (AGU) mostrou que o Governo Federal foi informado do “iminente colapso do sistema de saúde” do Amazonas dez dias antes de faltar oxigênio para pacientes do estado.

Segundo a AGU, foi iniciado um acompanhamento da situação sanitária na cidade de Manaus na última semana de dezembro de 2020. Após isso, o Ministério da Saúde realizou reuniões entre 3 e 4 de janeiro deste ano para analisar os dados colhidos.

Entre as conclusões, a AGU afirma que havia a “possibilidade iminente de colapso do sistema de saúde, em dez dias, o que pode provocar aumento da pressão sobre o sistema, entre o período de 11 a 15 de janeiro”.

Nesta época, no entanto, “o Ministério da Saúde não havia sido informado da crítica situação do esvaziamento de estoque de oxigênio em Manaus, ciência que apenas se operou em 8 de janeiro, por meio de e-mail enviado pela empresa fabricante do produto”, a White Martins.

Apesar disso, a empresa informou à Secretaria estadual de Saúde do Amazonas, em 7 de janeiro, o aumento no consumo dos fases medicinais e sugeriu aquisição de volumes adicionais. A White Martins ainda recomendou que o estado buscasse outro fornecedor para aumentar a disponibilidade do produto caso a situação se agravasse.