Publicado em 20/05/2020 às 15h35.

Alice: ‘Twitter não é documento. Weintraub precisa ter coragem para adiar o Enem’

Deputada baiana, Alice Portugal, autora do requerimento de urgência para adiar o exame, diz que ministro é maior entrave para a educação brasileira

Arivaldo Silva
Foto: Roberto Viana/ Ag. Haack/ bahia.ba
Foto: Roberto Viana/ Ag. Haack/ bahia.ba

 

De autoria da deputada federal Alice Portugal (PCdoB-BA), o requerimento de urgência para a votação do projeto de lei (PL) 2623/2020, que adia a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deve entrar na pauta de votação da Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (20).

A parlamentar baiana disse ao bahia.ba, que o projeto prevê o adiamento do exame enquanto durar os efeitos de afastamento social em função da pandemia de Covid-19. Alice afirmou ainda que o maior empecilho para o ensino no país é o ministro da Educação.

“O maior entrave que enfrentamos é justamente o sr. ministro da Educação [Abraham Weintraub], que durante todo o tempo vem dizendo que o Enem não é um elemento de fazer justiça social. Ele se engana, porque antes nós tínhamos no Brasil apenas o vestibular, um funil estreito, onde passavam os alunos oriundos das melhores escolas particulares. Hoje não, as universidades públicas recebem 50% dos alunos de escolas públicas. Essa é uma vitória histórica que não queremos perder. O sr. Weintraub é um entrave da educação brasileira”, afirmou .

“Twitter não é documento”

Weintraub publicou hoje no twitter que pode adiar o exame em 30 a 60 dias. “Acontece que twitter não é documento. Estamos aguardando se o ministro terá coragem de fazer uma portaria do Inep [Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira]. Se não fizer exigiremos a votação do projeto”, enfatizou a deputada.

De acordo com Alice, o Centrão, alinhado ao presidente Jair Bolsonaro, tem pressionado o ministro a fazer isso, pois no Senado só obtiveram um voto, exatamente do senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente.

“Como houve um atraso na Câmara e o Senado votou ontem, se votarmos o projeto aprovado no Senado, o nosso será apensado. Farei uma emenda citando nominalmente o Enem, pois o Senado não citou. O Enem é uma grande vitória dos estudantes brasileiros, pois através dele nós conseguimos fazer com que os os mais pobres, oriundos de escolas públicas, das periferias das grandes cidades e das cidades mais remotas pudessem ter chance de acesso às universidades, inclusive públicas, pelo sistema de cotas. Portanto é algo a ser defendido”, reiterou.

PUBLICIDADE