Publicado em 28/10/2020 às 21h40.

Após fala de pastor, Saúde terá que desmentir que feijão pode curar coronavírus

Em junho, pasta fez alerta depois de determinação, mas retirou informação do ar sem explicação

Redação
Foto: reprodução/redes sociais
Foto: reprodução/redes sociais

 

O Ministério Público Federal (MPF) obrigou o Ministério da Saúde a desmentir outra vez que o cultivo de feijão não possui eficácia na cura do novo coronavírus. A decisão foi tomada após o pastor evangélico Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, afirmar em vídeos que estava vendendo grãos supostamente milagrosos que teriam o poder de curar a Covid-19.

A nova ordem foi expedida pela Vara Cível Federal de São Paulo e após ação civil pública apresentada pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, órgão do MPF no estado. A decisão deverá ser cumprida em até 15 dias.

“Ao Ministério da Saúde cumpre apontar o que funciona e o que não funciona contra a covid-19. Ao fazê-lo desse modo, não melindra injustamente qualquer credo, apenas cumprindo mandamento constitucional que determina a proteção, a promoção e a recuperação da saúde”, diz parte da decisão.

Em junho deste ano, a Saúde já havia alertado que a informação se tratava de “fake news”, após decisão do MP. Contudo, a mensagem foi retirada do ar sem explicação um dia após a pasta anunciar que havia acatado a requisição do órgão.