Publicado em 08/04/2020 às 12h46.

Apresentador do SBT sugere ‘campo de concentração’ para tratar o coronavírus

Segundo o apresentador, além de evitar o contágio, esta seria uma forma de poupar gastos "desnecessários"

Bianca Andrade
Foto: SBT
Foto: SBT

 

O apresentador Marcão do Povo, do SBT, causou polêmica na manhã desta quarta-feira (8) ao tentar dar uma “solução” para a crise causada pelo coronavírus.

Durante a exibição do telejornal ‘Primeiro Impacto’, o âncora da atração sugeriu a criação de um campo de concentração para tratar as pessoas que contraíram o vírus.

“Não seria interessante também, presidente, montar um local… O exército, a marinha, a aeronáutica, montar um local onde todas as pessoas que tivessem os sintomas, que tivessem o coronavírus, fossem levadas para esse local e bem tratadas e bem cuidadas, em vez de espalhar da maneira que está sendo aí, em todos os lugares?”, questionou o apresentador.

Segundo o apresentador, além de evitar o contágio, esta seria uma forma de poupar gastos “desnecessários”.

“Acaba com esse negócio de ter que espalhar dinheiro para os estados. Tem estado que não teve nada, um caso lá, e nem sequer foi comprovado e o estado decretou calamidade. Tocantins teve um caso, não teve uma morte. O estado tem necessidade de decretar calamidade? É despesa para o cidadão”.

Nas redes sociais, a fala de Marcão não foi bem recebida. O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) comentou a declaração do apresentador.

Outros internautas também endossaram o coro contra a iniciativa. “Deprimente uma emissora de televisão permitir que um “jornalista” fale, ao vivo, sobre sobre campo de concentração para os infectados por coronavírus. Irresponsabilidade travestida de jornalismo”, disse uma internauta.

“Defender CAMPO DE CONCENTRAÇÃO é algo profundamente discriminatório. Trata-se de institucionalizar os contaminados como párias, com ignorância semelhante à que moveu nazistas contra judeus”, criticou outro.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.