Publicado em 04/04/2020 às 14h00.

Atendimentos odontológicos de urgência e emergência são mantidos em Lauro

Os procedimentos agendados não urgentes, contudo, seguem suspensos

Redação
Foto: Divulgação/Ascom PMLS
Foto: Divulgação/Ascom PMLS

 

Os procedimentos odontológicos de urgência e mergência serão mantidos em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador. Atendimentos agendados não urgentes, contudo, estão suspensos – em cumprimento à orientação do Ministério da Saúde, afirma a prefeitura do município.

As seis Unidades de Saúde da Família (USF) o Pronto Atendimento (PA) Nelson Barros, no Centro da cidade, seguem em funcionamento. Em períodos de rotina normal, a odontologia ambulatorial é realizada nas 16 USF, e no Centro de Especialidades de Odontologia, localizado na Itinga (CEO).

De acordo com a gestão municipal, a medida visa reduzir os riscos de transmissão da Covid-19, levando em conta que o serviço odontológico é considerado de alto risco para a disseminação viral.

Em meados do mês de março, a prefeitura publicou um decreto suspendendo os atendimentos ambulatoriais e cirurgias eletivas em toda rede de saúde municipal. As adequações para impedir o avanço da doença no município alteraram os serviços odontológicos.

“A classificação preconizada pelo Ministério da Saúde define que os procedimentos agendados não urgentes sejam suspensos, mas as pessoas que porventura necessitarem de algum atendimento de urgência podem se dirigir ao PA do Centro (24h) e as USFs Espaço Cidadão na Itinga, Noel Alves e Irmã Dulce em Portão, USF Vida Nova, Antonio Carlos Rodrigues e Padre João Abel em Areia Branca e Chafariz no Centro”, afirma Gabriela Borges, coordenadora de Saúde Bucal.

Gabriela explica também que os procedimentos realizados por profissionais da saúde bucal, por seu alto risco de contaminação cruzada, deixam mais expostos tanto pacientes quanto os trabalhadores que atuam na área.

“As equipes de Saúde Bucal (ESB) atenderão somente os casos de urgência, dado alto grau de exposição do profissional e paciente à infecção, devido a procedimentos que geram aerossóis. Essas medidas são validas enquanto durar o período da quarentena”, disse.

PUBLICIDADE