Publicado em 06/04/2021 às 13h46.

Brasil pode chegar a 5 mil mortes diárias se empresas não puderem comprar vacinas, prevê Wizard

Empresário articula no Congresso a flexibilização das regras sobre a participação da iniciativa privada na imunização dos brasileiros

Redação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

Carlos Wizard, um dos maiores empresários do Brasil, defende a participação da iniciativa privada na campanha de imunização dos brasileiros contra o coronavírus. Segundo ele, o país pode chegar a 5 mil mortes por dia em decorrência da Covid-19.

A atual legislação ainda não atende aos interesses dos empresários. De acordo com a Lei nº 14.125/21, as empresas podem comprar os imunizantes desde que sejam 100% doadas ao Sistema Único de Saúde (SUS). No entanto, os empresários não estão dispostos a abrirem os seus caixas sem contrapartida ou sem poderem vacinar os seus funcionários.

Proprietário do Grupo Sforza, que atua em diferentes segmentos, como fast-food, com as redes Pizza Hut, KFC e Taco Bells; e de educação, com a escola de inglês Wise Up, em sociedade com o empresário Flávio Augusto da Silva, Wizard articula no Congresso Nacional junto com o empresário Luciano Hang a flexibilização das regras.

Em entrevista ao jornal Gazeta do Povo, Wizard criticou a lei e declarou que ela é “inconstitucional” e que impede os brasileiros de terem “direito à saúde”.

“Eles aprovaram uma lei inconstitucional, porque, de acordo com a Constituição brasileira, cada cidadão tem direito à saúde. E quando é aprovado na Câmara e no Senado uma lei que impede a própria sociedade civil de oferecer saúde para a população, de fato, estamos diante de uma lei inconstitucional”, afirmou o empresário.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.