Publicado em 05/05/2021 às 12h27.

Casos de coronavírus voltam a subir em SP e acendem alerta para terceira onda

Internações pararam de cair e número de pacientes em UTI apresentou ligeira alta nos primeiros dias de maio

Redação
Ambulâncias circulam por ruas de São Paulo (Foto: Reprodução/ Governo do Estado de São Paulo)
Ambulâncias circulam por ruas de São Paulo (Foto: Reprodução/ Governo do Estado de São Paulo)

 

O número de casos de Covid-19 voltou a subir em São Paulo, gerando tensão em técnicos ligados à área da saúde sobre a possibilidade de o estado já estar entrando em uma terceira onda de infecções pela doença, informa a colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

Segundo a publicação, eles passaram de uma média diária de 12.573 novos casos para 12.887 na semana passada –um crescimento de 2,5% que ainda não era esperado.

Já as internações, que estavam baixando de forma constante e chegaram a apresentar uma queda de 25%, estacionaram.

Na penúltima semana de abril, a média diária de novas internações foi de 2.243 pessoas. Na semana seguinte, ela ficou em 2.239, numa queda de apenas 0,2%. Ou seja, a curva parou de cair.

A situação acendeu a luz amarela no governo: a alta de casos sempre resulta em aumento de hospitalizações e, logo depois, de internações em UTI. E, fatalmente, de mais mortes.

Ainda de acordo com a Folha, o número de pacientes em UTI, que vinha em queda constante, estacionou nas últimas semanas de abril. Mas já começa a apresentar ligeira alta nesta primeira semana de maio.

No domingo (2), 11.301 pessoas estavam internadas em tratamento intensivo no estado. Na segunda (3), o número subiu para 10.144. Na terça (4), para 10.235.

O número de mortes segue em queda em SP, mas ele reflete apenas a baixa de casos e internações de semanas anteriores (passou de 432 óbitos na semana passada para 360 agora, na média dos três primeiros dias de cada período).

 

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.