Publicado em 01/12/2020 às 15h09.

Cerca de 9,7 milhões de pessoas não adotaram nenhuma medida restritiva em outubro

Dados da PNAD Covid-19 indicam queda no total de pessoas que ficaram rigorosamente isoladas ou que saíram apenas para necessidades

Redação
Foto: Ravena Rosa/Agência Brasil
Foto: Ilustrativa/ Ravena Rosa/Agência Brasil

 

Depois de meses de incentivo ao distanciamento social, 9,7 milhões de pessoas não adotaram nenhuma medida de restrição em outubro. O número representa 4,6% da população brasileira, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Covid-19, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em relação a setembro, houve crescimento de 1,6 ponto percentual no total de pessoas que não seguiram o isolamento social. Aumento também no número de pessoas que reduziram o contato social, mas continuaram saindo de casa: 93,8 milhões de pessoas, 4,6 pontos a mais em relação a setembro.

A PNAD Covid-19 mostrou ainda que 80,7 milhões de pessoas ficaram em casa e só saíram para necessidades básicas. O número representa queda de 2,2 pontos percentuais. Queda ainda no número de pessoas que ficaram rigorosamente isoladas, mas de -3,9 pontos percentuais: 26,3 milhões de pessoas se mantiveram isoladas.

A pesquisa apresenta também dados de desemprego no país, que registrou aumento de 14% em setembro para 14,1% em outubro. É o maior resultado desde maio, quando o levantamento foi iniciado. A população desempregada cresceu 2,1%, saindo de 13,486 milhões em setembro para 13,763 milhões em outubro.

Por outro lado, a população ocupada totalizou 84,134 milhões em outubro, um crescimento de 1,4% em relação aos 82,934 milhões em setembro. Apesar do avanço, o número é menor do que o registrado em maio, 84,404 milhões.