Publicado em 01/12/2020 às 20h00.

Empresários fazem greve de fome em protesto contra medidas restritivas em Portugal

Donos de bares e restaurantes estão se reúnem há cinco dias em frente ao Parlamento de Portugal, vivendo apenas de água, chá e café doados por apoiadores

Redação
Foto: National Institute of Allergy and Infectious Diseases (NIAID)
Foto: National Institute of Allergy and Infectious Diseases (NIAID)

 

Um grupo de nove proprietários de restaurantes, bares e casas noturnas estão em greve de fome em protesto contra as restrições impostas devido à Covid-19. Os empresários se reúnem há cinco dias em frente ao Parlamento de Portugal, vivendo apenas de água, chá e café doados por apoiadores.

De acordo com informações da Reuters e de O Globo, os manifestantes afirmaram que não vão comer até que sejam recebidos pelo primeiro-ministro e pelo ministro da Economia. Uma petição online do movimento por trás da greve tem ganhado força, com quase 45 mil assinaturas.

Devido à pandemia, bares e casas noturnas de Portugal estão fechados desde março. Os restaurantes foram autorizados a reabrir em maio, mas desde 8 de novembro grande parte do país está sob toque de recolher e isolamento nos finais de semana. Em compensação, o governo ofereceu aos restaurantes 20% de sua receita média entre janeiro e outubro. Os proprietários afirmam que o valor não é suficiente.

“Como podemos sustentar uma empresa que não está ganhando dinheiro, mas tem que pagar impostos, pagar luz, água?”, questionou o porta-voz do movimento José Gouveia.

De acordo com a Reuters e O Globo, o número de registros de desemprego aumentou 34,5% em outubro, em comparação a 2019.