Publicado em 04/03/2021 às 11h29.

‘Estamos no limite dos leitos’, alerta secretária da Saúde em exercício

Tereza Paim fez balanço sobre altas taxas de ocupação em regiões da Bahia e reiterou o pedido para cumprimento das medidas restritivas

Redação
Foto: Reprodução/ YouTube
Foto: Reprodução/ YouTube

 

A secretária da Saúde da Bahia em exercício, Tereza Paim, fez um alerta nesta quinta-feira (4) para a alta ocupação dos leitos no Estado e a dificuldade encontrada para abertura de novos leitos para tratamento de pacientes com Covid-19. Paim cita que mais de 330 pessoas estão na fila de espera por um leito de UTI. Então, é necessária a conscientização de todos para poder reverter essa situação e evitar o colapso no sistema de saúde baiano.

“Nós estamos no limite dos leitos. A gente segue abrindo leitos, mas todos têm que entender que precisamos de profissionais para esses leitos, precisamos de equipamentos…aí vem a segunda onda e nos remete a mais número de leitos de UTI. Lembrar que a gente deixou leitos não-covid como legado e não dá para fechar esses leitos porque tem pessoas deitadas nesses leitos. Hoje nós entramos com mais leitos de UTI no Alaíde Costa, que é um hospital de nefrologia. Estamos tentando entrar onde a gente consegue. As pessoas não podem ficar nos leitos de ambulância, que precisam transportar pessoas. A gente tem transportado mais de 60 pessoas na Bahia no período noturno. Existem pessoas dentro dos hospitais que precisam ser transferidas”, explicou Tereza, reiterando que a fila de pacientes à espera de uma vaga não tem cessado.

“Então, essa fila não para, não cessa. Hoje, amanhecemos com 337 pessoas de novo aguardando leitos Covid. A gente tem que contabilizar, ir para hospital, sensibilizar a todos, fazendo gestão da alta responsável, da possiblidade de realocar pacientes que estão retirando oxigênio, já em leitos clínicos…fazendo essa gestão no dia a dia com os hospitais, mostrando os dados, sendo o mais transparente possível, para que a gente consiga ter um giro de leito maior. A gente clama para a população. A gente sabe que vai ter efeito o pouco que nós estamos fazendo com que a população faça, que ela se submeta nesse momento”, disse.

Reuniões entre governador e prefeitos
Também nesta quinta-feira, a secretária Tereza Paim, voltou a falar das reuniões que o governador Rui Costa tem feito com os prefeitos e secretários municipais da Saúde. Ela cita que estão sendo feitos todos os esforços para preservar vidas e pede o apoio da população para evitar aglomerações, que evita a transmissão do coronavírus e a sobrecarga do sistema de saúde.

“O governador tem feito reuniões e a gente tem participado delas, enquanto secretaria estadual, com prefeitos e secretários municipais, solicitando bombas de fusão, respirador, onde a gente consegue ampliar o número de leitos nos municípios…a gente quer mesmo que o paciente fique o mais próximo, já que ele não pode ficar com a sua família acompanhada, pelo menos que ele fique no mesmo município. Nós estamos usando todos os esforços, desde o início”, disse, reiterando o pedido de equipamentos e para intensificar os cuidadaos.

“Então, essa é a única possibilidade: quem tem na sua prateleira, a nível hospitalar, bomba de fusão, respirador, estamos em busca de tudo, de todos, para a gente conseguir manter vidas. Mas existe um limite, um limite físico. O governador sempre fala, a Alemanha é um país rico, mas que não conseguiu acolher todos os seus pacientes. A Bahia é um “país” pobre e a gente precisa que a popualção entenda: qauanto menos aglomeração, menos pessoas nas portas das UPAs. Há 12 meses estamos falando a mesma coisa, mas a gente não se cansa. Se a gente não se cansa de trabalhar, não se cansa de falar também. Não tem outra forma”, pontuou a secretária.

Altas taxas de ocupação
Segundo Paim, as regiões de maior alta de taxa de ocupação de leitos são as regiões sul e sudoeste da Bahia, que têm gerado grande preocupação. Apesar da Sesab conseguir mobilizar leitos, a taxa de contaminação continua alta nestas duas regiões.

“A região sudoeste está hoje com 87% de taxa de ocupação, a região sul, 81%. Essas regiões sempre nos preocuparam e continuam nos preocupando. Volto a reforçar que esse é um retrato, taxa de ocupação é um retrato…leito desocupado é paciente na ambulância à caminho do leito, senão não teríamos essa fila. Hoje, à espera de clínicos são 224 pessoas. E nós estamos conseguindo mobilizar leitos, transferir pessoas. Mas o espalhamento está muito alto e as pessoas estão se contaminando e, progressivamente, contaminando outras pessoas”, explicou.

Medidas restritivas
Ainda segundo a secretária, a população está compreendendo as medidas restritivas para conter avanço do coronavírus. No entanto, ela considera que, apesar de impactar, as pessoas estão acreditando nas medidas adotadas. Tereza aproveita ainda e recomenda que quem está com sintomas leves, deve procurar atendimento médico e se isolar, para evitar a disseminação do coronavírus.

“As pessoas já estão conscientes, é impactante ver mortes. Isso afeta a todos nós, o tempo inteiro. Acredito que a população acredita, sim. E eu tenho que ter esperança que esse é o único mecanismo que temos para poder respirar. Não é fácil uma pessoa não conseguir respirar. Pessoas que têm diabetes, hipertensão, não fiquem esperando o desconforto respiratório em casa. Vamos ter atenção e cuidar um do outro. Quem já estar em casa adoentado, vamos se isolar”, finalizou a secretária.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.