Publicado em 09/04/2020 às 19h20.

Governo Bolsonaro diz que auxílio emergencial ‘não é de prefeitos, nem governadores’

Nas redes sociais, governo federal reitera que é provedor da assistência

Redação
Foto: Caixa Econômica Federal
Foto: Caixa Econômica Federal

 

De encontro às medidas de isolamento adotadas por prefeitos e governadores do Brasil, o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) publicou nos perfis oficiais da República que o auxílio emergencial de R$ 600 concedido a trabalhadores informais e desempregados “não é de prefeituras, nem de governos estaduais”.

A publicação, que reúne cerca de dez mil likes, afirma reitera que o governo federal é provedor do benefício, “para a população, graças aos impostos pagos pela própria população”.

Em um de seus pronunciamentos à TV, o presidente da república chegou a dizer que não foi consultado pelos estados sobre o isolamento social – o que considera uma medida “precipitada”. Em resposta ao presidente, o Superior Tribunal Federal (STF) determinou, contudo, que os municípios e estados brasileiros têm autonomia para desenvolver seus próprios planos de contenção frente à pandemia do novo coronavírus.


Ver essa foto no Instagram

⚠️ Atenção ⚠️ Fonte: Governo Federal

Uma publicação compartilhada por Governo do Brasil (@governodobrasil) em

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.