Publicado em 06/08/2020 às 16h46.

Instituto Butantan admite possibilidade de ter vacina para registro em outubro

Vacina está sendo testada em 9.000 voluntários em seis estados, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Minas Gerais e Rio de Janeiro

Arivaldo Silva
Foto: Facebook/Instituto Butantan
Foto: Facebook/Instituto Butantan

 

A possibilidade de ter uma vacina contra a Covid-19, pronta para registro ainda no mês de outubro foi admitida nesta quinta-feira (6), pelo diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, em audiência pública virtual da Câmara dos Deputados para debater o desenvolvimento da imunização. Em junho, o Butantan firmou parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac Life Science para produção e testes avançados de uma vacina. As declarações foram dadas e

A vacina está sendo testada em cerca de 9.000 voluntários em seis estados brasileiros, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Minas Gerais e Rio de Janeiro, sob coordenação e acompanhamento do Butantan. Com isso, já são cinco centros de pesquisas que iniciaram nesta semana os testes clínicos de fase III da vacina.

Caso a vacina seja clinicamente bem-sucedida, o Butantan a submeterá para registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Caso aprovada pela agência, poderá ser distribuída para o Sistema Único de Saúde (SUS), por meio do governo federal.

De acordo com instituto, desde a quarta-feira (5), a Universidade de Brasília (UnB) começou a vacinação dos profissionais de saúde. Nesta quinta, foi a vez do Hospital das Clínicas da Unicamp, em Campinas (SP), iniciar o processo.

Ainda segundo o Butantan, nesta sexta-feira (7), iniciam os testes no Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, e na Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (SP). No sábado (8) será a vez do Hospital São Lucas da PUC do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre.

“Assim, já teremos 10 dos 12 centros participando do estudo. Em breve, também teremos o início da vacinação no Hospital Israelita Albert Einstein, na capital paulista, e no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Rio de Janeiro”, ressalta a instituição, em comunicado publicado no site oficial.

Butantan diz não ser preciso temer ‘vacina da China’

O diretor do Butantan falou não haver motivo para preocupações quanto a uma parte da vacina se originar da China. O coronavírus surgiu pela primeira vez em Wuhan, no país asiático, antes de se espalhar pelo mundo.

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) valorizou a candidata à vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca, no Reino Unido, e testada no Brasil em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O Butantan está selecionado profissionais das áreas de Ciências Biológicas, Química, Farmácia, Biotecnologia ou cursos afins, para trabalhar em laboratórios especializados em áreas como: virologia, genética e biologia molecular, atuando diretamente na Rede Colaborativa para Desenvolvimento de Vacinas do Instituto Butantan, com bolsa remunerada.