Publicado em 05/04/2020 às 17h00.

Maia pretende discutir com governo proposta do Senado que amplia auxílio emergencial

Ampliação do auxílio a informais, idosos e empresas depende do aval da Câmara; ministro Paulo Guedes considera aumento excessivo

Redação
Foto: José Cruz/Agência Cruz
Foto: José Cruz/Agência Cruz

 

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) pretende discutir com o governo federal sobre o projeto do Senado que amplia auxílio a informais, idosos e empresas antes de colocar a proposta em votação.

O diálogo, de acordo com a Folha de S.Paulo, deverá ocorrer devido ao aumento nas contado do governo, provocado pela medida proposta. Aprovado no Senado, projeto depende do aval da Câmara.

O texto estende o auxílio emergencial (que varia de R$ 600 a R$ 1.200 por mês) a mais categorias, amplia a cobertura do BPC (benefício assistencial a idosos e deficientes carentes) e cria um programa de ajuda a empresas na manutenção do emprego diferente do anunciado pelo governo.

A equipe econômica do ministro Paulo Guedes considera a ampliação de benefícios excessiva e estima que a proposta poderá gerar um custo próximo de R$ 140 bilhões no ano. Além disso, questiona trechos do projeto que criam gastos permanentes, e não apenas durante a pandemia.



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.