Publicado em 06/04/2020 às 21h20.

Ministério muda estratégia e sinaliza reduzir isolamento

Mudança da regra aconteceria em estados com 50% da capacidade da rede de saúde vaga

Redação
Foto: Google Street View
Foto: Google Street View

 

Em dia no qual o ministro Luiz Henrique Mandetta teve a demissão cogitada, o Ministério da Saúde sinaliza mudar a estratégia com relação ao isolamento social. Boletim publicado nesta segunda-feira (6) e divulgado pelo G1 estabelece a próxima segunda-feira, dia 13, como data de início da nova estratégia.

Cidades com mais de 50% da capacidade da rede de saúde vaga passaria a adotar um distanciamento social seletivo, restrito a alguns grupos. Menores de 60 e pessoas de fora dos grupos de risco – sem outras compliações médicas, por exemplo – poderiam circular livremente. Nos demais casos, permaneceriam as regras de quarententa para toda a população.

“Hoje publicamos informações sobre o Distanciamento Social Ampliado, Distanciamento Social Seletivo, e Bloqueio Total (lockdown). As medidas são temporárias, localizadas e o governo federal está fazendo de tudo para que elas sejam minimizadas ao máximo possível”, disse nesta segunda-feira Wanderson Oliveira, secretário de vigilância em saúde do ministério, em entrevista a jornalistas.

A possibilidade de saída de Mandetta foi divulgada em vários veículos presentes em Brasília. O sucessor pode ser o ex-ministro de Cidadania, Osmar Terra, que teve almoço nesta segunda com o presidente Jair Bolsonaro. Uma reunião ministerial no final da tarde aumentou a expectativa sobre o anúncio da saída do ministro da Saúde, mas a decisão não foi tomada no encontro. Ministros militares convenceram o presidente a recuar.

PUBLICIDADE