Publicado em 23/09/2021 às 07h33.

Ministério questiona Butantan por venda da CoronaVac aos estados

Pasta da saúde, que cobra reposição das doses interditadas pela Anvisa, alega que contrato de 100 milhões de vacinas não foi cumprido ainda

Redação
Foto: divulgação GOVSP
Foto: divulgação GOVSP

 

Após o anúncio, na quarta-feira (22), de venda da vacina contra a Covid-19 CoronaVac a cinco estados, o Ministério da Saúde notificou o Instituto Butantan questionando o acerto. Segundo o órgão federal, há uma cláusula do contrato de exclusividade na qual o instituto paulista só pode fornecer para outros contratantes quando concluir o contrato com o ministério.

Para o Butantan, as doses restantes foram enviadas em 15 de setembro. Por isso, acertou a venda direta de 2,5 milhões de vacinas para Ceará, Espírito Santo, Pará, Piauí e Mato Grosso.

Já o MS alega que o Butantan tem que repor as 12 milhões de doses interditadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O fornecedor da CoronaVac já substituiu 4 milhões de unidades e pretende concluir a entrega das outras 8 milhões até 30 de setembro, data que vence o contrato com o Ministério. Pelo descumprimento alegado o ministério ameaça cobrar uma multa de R$ 30 milhões. Fonte: G1

 

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.