Publicado em 15/01/2021 às 20h00.

Ministério requisita ao Butantan 6 milhões de doses importadas da CoronaVac

Ofício enviado para o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, requer entrega imediata do imunizante produzido pela farmacêutica chinesa Sinovac

Redação
Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

 

O Ministério da Saúde requisitou ao Instituto Butantan 6 milhões de doses importadas da CoronaVac. Um ofício assinado pelo diretor do Departamento de Logística em Saúde, Roberto Ferreira Dias, foi enviado nesta sexta-feira (15) ao diretor do instituto, Dimas Covas.

De acordo com informações do G1, o governo federal solicitou a entrega imediata da doses.

“Ressaltamos a urgência na imediata entrega do quantitativo contratado e acima mencionado, tendo em vista que este ministério precisa fazer o devido loteamento para iniciar a logística de distribuição para todos os estados da federação de maneira simultânea e equitativa, conforme cronograma previsto no Plano Nacional de Operacionalização da vacinação contra a Covid-19”, diz o ofício.

A CoronaVac, adquirida pelo instituto vinculado ao Estado de São Paulo com a farmacêutica Sinovac, ainda aguarda autorização de uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O Butantan produzirá o imunizantes da fabricante chinesa aqui no Brasil.

Também aguarda resposta da Anvisa a vacina de Oxford/AstraZeneca, contratada pelo governo federal. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) tenta importar da Índia doses já prontas do imunizante, mas ainda não há previsão de quando o governo indiano autorizará a disponibilização do material.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.