Publicado em 22/09/2020 às 11h50.

‘Não vai demorar para acontecer’, diz Neto sobre desativação de hospitais de campanha

De acordo com a Sesab, dos 1.136 leitos ativos na capital baiana, 498 estão ocupados, resultando assim em uma taxa de ocupação de 44%

Bianca Andrade / Eduardo Dias
Foto: Valter Pontes/Secom
ACM Neto em visita ao Hospital de Campanha do Wet’n Wild (Foto: Valter Pontes/Secom)

 

Com a queda nos números de infectados com a Covid-19 em Salvador, o prefeito ACM Neto (DEM) afirma que os estudos para desativação dos hospitais de campanha – criados para atender exclusivamente pacientes diagnosticados com a doença – estão avançando.

Em coletiva nesta terça-feira (22), o gestor afirmou que o primeiro passo que está sendo dado é a transferência dos casos de Covid-19 para os hospitais convencionais.

“Por enquanto, os hospitais de campanha estão funcionando. A gente está começando a conversão dos leitos pelos hospitais tradicionais da cidade, os que não são de campanha. Quando a gente perceber que essa taxa de ocupação das UTIs está realmente sob total administração, que não há nenhum risco de elevação, e que dá para desativar, nós vamos desativar”, afirmou.

Para Neto, a situação vai caminhar com rapidez. “Não vai demorar muito para isso começar a acontecer. Por enquanto, a determinação é que eles continuem funcionando. Quando houver segurança e respaldo técnico para que eles possam ser desativados, eles serão”.

De acordo com a Sesab (Secretaria de Saúde do Estado da Bahia), dos 1.136 leitos ativos na capital baiana, 498 estão ocupados, resultando, assim, em uma taxa de ocupação de 44%. Os leitos de UTI adulto, que determinam a flexibilização do comércio, têm ocupação de 43%.