Publicado em 22/04/2020 às 17h35.

No Brasil, 1,6 milhão de pessoas estão a mais de 5 km de centros de saúde equipados

Levantamento do Ipea foi realizado nas 20 maiores cidades do Brasil; faixa etária acima de 50 anos predomina no público mais vulnerável

Redação
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

 

Em algumas capitais, hospitais e postos de saúde já mostram esgotamento de vagas em leitos comuns e de UTI para atender o aumento da demanda provocado pela pandemia do novo coronavírus. Mas a situação está pior para cerca de 1,6 milhão de pessoas que moram a uma distância maior do que 5 quilômetros de uma unidade do SUS.

O dado integra estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Segundo a Agência Brasil, essa parcela da população está na faixa acima de 50 anos e pertence ao grupo dos 50% mais pobres. O número corresponde a 41% da população vulnerável em grandes centros urbanos. O levantamento – realizado nas 20 maiores cidades do Brasil – mostra também que há cerca de 230 mil brasileiros que levariam mais de 30 minutos para chegar a um hospital em casos de emergência.

Segundo o técnico de planejamento e pesquisador da Diretoria de Estudos e Políticas Regionais, Urbanas e Ambientais (Dirur) do Ipea, Rafael Pereira,, na média das 20 cidades analisadas, o SUS dispõe de 1,1 leito de UTI adulto com respirador para cada 10 mil habitantes – número que está próximo do que é indicado pelo Ministério da Saúde. No entanto, essa quantidade é recomendada em situação de normalidade, não para cenários em que casos de internação ou de problemas de respiração crescem em alta velocidade, ressaltou Pereira.



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.