Publicado em 18/01/2021 às 19h00.

Pazuello se defende e diz que sistema de saúde em Manaus já é colapsado normalmente

Na semana passada, a estrutura de atendimento à população colapsou com a falta de oxigênio hospitalar em Manaus

Redação
Foto: José Dias/PR
Foto: José Dias/PR

 

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, defendeu sua gestão à frente da pasta em relação à crise do sistema de saúde no Amazonas. Na tarde desta segunda-feira (18), o ministro concedeu entrevista coletiva na qual disse ter feito tudo o que havia pra fazer no estado.

Na semana passada, a estrutura de atendimento à população colapsou com a falta de oxigênio hospitalar em Manaus. Com a crise, pacientes tiveram de ser transferidos para unidades de saúde de outros estados.

De acordo com informações do Valor Econômico, Pazuello disse que o sistema de saúde do estado já é colapsado normalmente, com ocupação em torno de 80%. O governador do Amazonas, Wilson Lima, também estava na coletiva. Ele disse que o Estado foi surpreendido pela nova variante do coronavírus e que a média de consumo de oxigênio dobrou em um mês.

Pazuello também se defendeu das críticas de que está recomendando à população tratamentos não comprovados cientificamente. O ministro disse que só tem enviado cloroquina a prefeitos e governadores que solicitarem.

“Nunca autorizei o Ministério da Saúde a fazer protocolos indicando medicamentos”, afirmou.

No entanto, protocolo divulgado pela pasta e atualizado em agosto recomenda a cloroquina associado à azitromicina nos 14 dias de contaminação, em casos de sintomas leves e moderados.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.