Publicado em 30/04/2020 às 07h09.

Petrobras tem 510 casos confirmados e 1.301 suspeitos de coronavírus

Segundo denúncia da FUP, entre os casos da doença estão funcionários que trabalham em sete plataformas da Bacia de Campos,

Redação
Bacia de Campos-RJ (Foto: Divulgação/Petrobras)
Bacia de Campos-RJ (Foto: Divulgação/Petrobras)

 

A Petrobras está com 510 casos confirmados e 1.301 suspeitos do novo coronavírus (Covid-19), conforme indicou boletim divulgado pelo Ministério de Minas e Energia (MME).

De acordo com a estatal, até o dia 24 de abril eram 184 de um total de 46.416 empregos diretos, mas os números aumentaram e já atingem empresas terceirizadas.

Entre os casos de empregados com a doença, segundo denúncia da Federação Única dos Petroleiros (FUP), estão funcionários que trabalham em sete plataformas da Bacia de Campos, no norte do estado do Rio de Janeiro: P-26, P-50, P-18, P-35, P-20, P-33 e P-62.

Em nota, a entidade afirma ter recebido denúncias através de um canal criado pelo Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-Norte Fluminense). “Diariamente de dois a três trabalhadores embarcados têm deixado seus postos de trabalho nas plataformas com sintomas da doença. Há relatos crescentes de trabalhadores com medo e psicologicamente abalados”, informa a FUP.

A se pronunciou: “A companhia monitora todos os casos suspeitos entre nossos colaboradores, dentro ou fora das nossas unidades, desde o primeiro reporte de sintomas. Tomamos todas as medidas preventivas para evitar o contágio nesses casos e orientamos o colaborador e seus familiares por meio das nossas equipes de saúde, seguindo as definições das autoridades sanitárias”.

O comunicado da FUP, contudo, diz que existem regularidades no transporte dos funcionários para as plataformas. “Vans e helicópteros seguem operando com a sua capacidade normal, gerando aglomerações”, diz o documento. E que os testes só acontecem para trabalhadores embarcados.

A Petrobras informou que, nos desembarques, o colaborador usa máscara, “conforme recomendação do Ministério da Saúde”, e é conduzido por veículos que aguardam próximo à aeronave, evitando o trânsito em áreas comuns do aeroporto. “O colaborador é encaminhado para isolamento e é monitorado por equipes de saúde”, garantiu a empresa.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.