Publicado em 26/11/2020 às 21h20.

Presidente diz que não vai tomar vacina, mas confirma imunizante gratuito

Segundo Jair Bolsonaro, vacinação não será obrigatória; decisão cabe ao Ministério da Saúde

Redação
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou, em live nas redes sociais, na noite desta quinta-feira (26), que a vacina contra o novo coronavírus será distribuída gratuitamente para a população quando for aprovada. Contudo, ele voltou a dizer que a vacinação será voluntária e que ninguém será obrigado a se imunizar. Ele afirmou, inclusive, que não receberá a vacina porque “é um direito” dele.

Ainda na transmissão, o militar reformado fez uma referência ao governador de São Paulo, João Dória (PSDB), sem citar o nome, ao dizer que quem defende a vacinação obrigatória é “ditador” e “está a fim de fazer negócio com a vida dos outros”.

“A questão é séria, temos que ter responsabilidade nisso daí, e não falar que vou obrigar a fazer isso e aquilo”, completou.

Apesar da declaração do presidente, a decisão se a vacina será obrigatória ou não cabe ao Ministério da Saúde. A fala ainda vai contra um estudo publicado em agosto que mostra que um imunizante com eficácia de 80% precisa ser aplicado em ao menos 75% das pessoas para dar fim à pandemia.