Publicado em 09/04/2020 às 09h47.

Projeto da AfroSaúde cria rede de apoio à população periférica de Salvador

Serviço contará com o auxílio de profissionais voluntários em diversas atuações da Saúde durante a pandemia do novo coronavírus

Redação
Foto: Wikimedia Commons
Foto: Wikimedia Commons

 

A fim de minimizar os efeitos do novo coronavírus (Covid-19) nas periferias de Salvador, a AfroSaúde, health tech de impacto social focada na saúde da população negra, está realizando uma mobilização para criar uma rede de apoio com profissionais de saúde para atender, por telefone e internet, a população que vive em território periférico da capital baiana.

Com médicos, psicólogos, farmacêuticos, nutricionistas, enfermeiros e assistentes sociais aptos a lidar com as situações de saúde da comunidade periférica diante da atual pandemia causada pelo vírus, a rede de apoio vai possibilitar orientação multidisciplinar em saúde, totalmente gratuita.

Para viabilizar o projeto, a AfroSaúde foi selecionada em um edital de Matchfunding, modelo de financiamento coletivo que triplica cada valor doado, por meio da plataforma Benfeitoria. As contribuições, que podem ser feitas a partir de R$ 10, estão sendo realizadas no site https://benfeitoria.com/afrosaude.

Na primeira etapa do projeto, a rede pretende atender a mais de 250 mil pessoas que vivem, prioritariamente, no Subúrbio Ferroviário, complexo do Nordeste de Amaralina e Cajazeiras e adjacências.

A AfroSaúde é uma health tech de impacto social focada na saúde da população negra, existente desde junho de 2019. Diante da necessidade de combater o racismo na saúde e a desigualdade no mercado de trabalho nesta área, a ideia é conectar pacientes a profissionais de saúde negros de todo o Brasil por meio de uma plataforma online, pela qual os pacientes poderão buscar por profissionais que os representem em mais de 30 especialidades de saúde.