Publicado em 18/05/2021 às 19h07. Atualizado em 18/05/2021 às 20h56.

Rui cita aumento de ocupação dos leitos e ameaça novas restrições

Ele comentou sobre bares e restaurantes, e disse que, caso as medidas restritivas sejam retomadas, esses estabelecimentos também serão alvos do decreto

Paloma Teixeira
Foto: Reprodução/Instagram
Foto: Reprodução/Instagram

 

O governador Rui Costa (PT) citou o aumento da ocupação dos leitos de UTI para pacientes com o novo coronavírus na Bahia. Durante o ‘Papo Correria’ na noite desta terça-feira (18), o petista afirmou que a taxa de ocupação está acima de 80% e, caso continue nesse patamar nos próximos dias, “teremos que dar um passo atrás e retornar as medidas restritivas”. Conforme a Secretaria estadual de Saúde (Sesab), a ocupação chegou a 85%.

Na live, o governador lamentou o descumprimento das medidas sanitárias contra o vírus e criticou as aglomerações flagradas no final de semana. Ele também mandou um recado para bares e restaurantes, e pontuou que, caso as medidas restritivas sejam retomadas, esses estabelecimentos também serão alvos do decreto.

“Ao invés de funcionar durante muito tempo de forma racional e cuidando da vida humana… Se funciona por pouco tempo de forma irresponsável, vai funcionar apenas alguns dias, porque vai explodir de casos e nós seremos obrigados a fechar de novo”, afirmou.

Apesar do aumento, o governador descartou que a Bahia viva uma terceira onda da doença. No entanto, ele alertou para o crescimento desenfreado dos casos na região oeste do estado. Segundo Rui Costa, os municípios da localidade estão em uma situação muito crítica e já se aproximam a uma taxa de ocupação de leitos de quase 100%. Para ele, isso “significa que a segunda onda não acabou ainda”.

“Em fevereiro, nós tínhamos menos de 10 mil casos ativos. Quando chegou em março, pulou para 22 mil casos e nós vivemos aquele momento difícil, o pior momento da pandemia, e depois disso nós conseguimos reduzir, mas não reduzimos muito. Infelizmente, estamos há mais de 30 dias com o patamar de 15 mil contaminados na Bahia, é um número extremamente elevado. Nós precisamos reduzir esse número, no mínimo, ao que nós tínhamos em fevereiro deste ano, ou seja, menos de 10 mil contaminados, para a gente ter algum grau de segurança no retorno às atividades”, avaliou.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.