Publicado em 23/11/2020 às 07h50.

Vacina de Oxford contra coronavírus alcança até 90% de eficácia, diz laboratório

Amostra totaliza mais de 24 mil voluntários, que participaram dos testes no Reino Unido, no Brasil e na África do Sul

Redação
Vacina do laboratório Astrazeneca (Foto: Paul Biris/Getty Images)
Vacina do laboratório Astrazeneca (Foto: Paul Biris/Getty Images)

A vacina contra o coronavírus Sars-Cov-2 produzida por uma parceria entre a Universidade de Oxford (Reino Unido) e a farmacêutica AstraZeneca apresenta eficácia de até 90%, anunciou o laboratório nesta segunda-feira (23) com base em resultados preliminares de testes de fase 3. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Segundo a publicação, foram realizados dois estudos usando dosagens diferentes. Alcançou-se eficácia de 90% ao se aplicar meia dose da vacina seguida de uma dose inteira. Quando foram aplicadas duas doses inteiras, a eficácia foi de apenas 62%. No agregado dos dados dos dois estudos, a eficácia média da vacina foi de 70,4%.

“A eficácia e a segurança desta vacina confirmam que ela será altamente eficaz contra a Covid-19 e terá um impacto imediato na emergência de saúde pública”, disse em comunicado Pascal Soriot, presidente da AstraZeneca.

Ainda de acordo com a Folha, a amostra dos estudos totaliza mais de 24 mil voluntários, que participaram dos testes da vacina no Reino Unido, no Brasil e na África do Sul. Nenhum dos participantes precisou ser hospitalizado em decorrência da vacina.

Os cientistas envolvidos nos testes já haviam publicado na quinta-feira (19) na revista Lancet os resultados de uma etapa anterior do processo de desenvolvimento da vacina, indicando que ela pode gerar resposta imunológica em adultos de todas as idades.