Publicado em 09/07/2020 às 18h00.

Empresas enviam para Banco Central modelo de transferência via WhatsApp

Mastercard e Visa aguardam agora retorno da autoridade monetária, que barrou a funcionalidade no Brasil

Redação
Foto:  Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

 

Duas empresas de pagamentos enviaram ao Banco Central o modelo de transferências que poderá ser utilizado em operações financeiras via WhatsApp. Mastercard e Visa aguardam agora retorno da autoridade monetária, que barrou a funcionalidade no Brasil, uma semana após o anúncio da empresa.

No último dia 30, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) autorizou o funcionamento da ferramenta, após Facebook e Cielo, parceiros na ferramenta, apresentarem informações sobre a nova funcionalidade.

No início de julho, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse que está disposto a autorizar o funcionamento, desde que as empresas demonstrem que o arranjo de pagamento é competitivo e capaz de proteger os usuários.

De acordo com informações do jornal O Globo, o presidente da Mastercard Brasil e Cone Sul, João Pedro Paro Neto, explicou que foi preciso criar uma nova modalidade para contemplar a ferramenta do WhatsApp. Segundo Paro Neto, anteriormente a transferência estava dentro do arranjo de pagamento, mas o Banco Central achou necessário dar mais segurança à operação.

“Existem outras coisas que o Banco Central nos pediu para completar que era esclarecimento sobre, por exemplo, segurança de dados, sigilo bancário, todas essas coisas que nós temos no nosso arranjo de pagamento e obviamente está no arranjo de transferências”, acrescentou.