Publicado em 16/01/2017 às 22h00.

Meirelles evita comentar corte da Selic, mas elogia trabalho do BC

"Tenho uma postura desde que eu era presidente do BC, de que este não é o tipo de resposta que um ministro da Fazenda deve dar: o que esperava ou não do BC", disse

Clara Rellstab

 

Brasília - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, durante audiência pública da Comissão Especial sobre Novo Regime Fiscal (PEC 241/16), na Câmara dos Deputados (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Brasília – O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, durante audiência pública da Comissão Especial sobre Novo Regime Fiscal (PEC 241/16), na Câmara dos Deputados (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

 

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, evitou nesta segunda-feira, 16, comentar a decisão do Banco Central, inesperada pela maioria do mercado financeiro, de reduzir a taxa básica de juros em 0,75 ponto porcentual na semana passada, levando a Selic para 13,00% ao ano. Ele aproveitou, no entanto, para elogiar a instituição durante entrevista coletiva para jornalistas em Davos, onde ocorre o Fórum Econômico Mundial. Amanhã, o BC divulga a ata da reunião.

“Tenho uma postura desde que eu era presidente do BC, de que este não é o tipo de resposta que um ministro da Fazenda deve dar: o que esperava ou não do BC”, disse. “É hora apenas de dizer que o BC está fazendo um excelente trabalho”, continuou. Perguntado sobre se a decisão de acelerar o ritmo foi boa, ele repetiu que o trabalho da instituição, comandada por Ilan Goldfajn, também presente em Davos, é excelente. Ele também não quis comentar sobre a possibilidade de o BC manter esse ritmo de corte dos juros nas próximas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom), como passou a prever grande parte dos analistas de mercado.

PUBLICIDADE