Publicado em 07/11/2019 às 16h37.

‘Tributo sobre o pecado’: Guedes quer aumentar imposto de bebida e cigarro

"Se fuma muito, vai ter problema de pulmão lá na frente, vai ocupar hospital público, então põe logo um imposto nele"

Redação
Foto: Edu Andrade/Ministério da Economia
Foto: Edu Andrade/Ministério da Economia

 

O governo Bolsonaro vai apresentar em sua proposta de Reforma Tributária a união de vários tributos que existem hoje, principalmente os que incidem sobre o consumo, em um único, além de acabar com as deduções do imposto de renda para poder baixar a alíquota mais alta de 27,5% para 22%.

Nem tudo, porém, serão reduções. O ministro da Economia, Paulo Guedes adiantou, em discurso no Tribunal de Contas da União, nesta quinta-feira (7), que estão nos planos o que ele chamou de “impostos sobre o pecado”. “Vamos ver no Congresso. O cara fuma muito? Bebe muito? Taca um imposto nele. Porque, se fuma muito, vai ter problema de pulmão lá na frente, vai ocupar hospital público, então põe logo um imposto nele”, defendeu.

Guedes disse ainda que o governo tem pressa para fazer a reforma tributária e que, por isso, as propostas sobre o tema que já tramitam no Congresso deverão ser usadas. “O principal pilar, que é o IVA [Imposto Sobre Valor Agregado] está na proposta do Baleia Rossi [deputado federal pelo MDB-SP] e temos que apoiar porque está parada há 18 anos por que governadores nunca estão de acordo”, afirmou.

PUBLICIDADE

Mais notícias