Publicado em 19/08/2020 às 15h01.

Turismo baiano tem a 5ª maior perda do país durante a pandemia

Segundo dados da CNC e da Fecomércio e do IBGE, queda na receita desde março chega a R$ 7,35 bilhões

Redação
Foto: divulgação grupo GPS
Foto: divulgação grupo GPS

 

O turismo baiano tem a 5ª maior perda do país em faturamento durante a pandemia de Covid-19. Segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)/IBGE, o estado acumula queda de receita de R$ 7,35 bilhões. O tombo no estado foi o maior do Nordeste, seguido de Pernambuco (R$ 4,4 bilhões) e do Ceará (R$ 3,36 bilhões).

Em nível nacional, o impacto do novo coronavírus na receita da atividade turística alcançou R$ 153,84 bilhões, segundo a PMS/IBGE. O setor tem operado com 14% da sua capacidade operacional desde o início da pandemia (março) até o mês de julho.

Estados com maior volume de casos de Covid-19, São Paulo e Rio de Janeiro também concentram o impacto no turismo, com diminuição de faturamento de R$ 55,31 bilhões e R$ 22,20 bilhões, respectivamente. Juntas, as duas unidades concentram 50,4% da perda nacional no período. Minas Gerais (R$ 12,6 bilhões) e Rio Grande do Sul (R$ 8,45 bilhões) também sofreram dano financeiro maior do que o da Bahia.

“Embora a atividade turística tenha crescido 19,7% em junho, quando comparada aos demais setores da economia, é aquela que se encontra mais distante do nível de atividade verificado antes da média janeiro-fevereiro (-59%)”, assinala, via assessoria, a Federação de Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio-BA).