Publicado em 21/09/2022 às 14h01.

‘Não se pode vencer em uma guerra nuclear’, diz Biden em crítica a Rússia

Vladimir Putin ameaçou usar armas nucleares e convocou cerca de 300 mil cidadãos da reserva para se unirem às tropas russas na Ucrânia

Redação
Foto: Divulgação / White House
Foto: Divulgação / White House

 

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, culpou nesta quarta-feira (21), durante a Assembleia Geral da ONU em Nova York, a Rússia de ir contra os princípios fundamentais da adesão às Nações Unidas ao invadir a Ucrânia e citou como “irresponsáveis” as ameaças que Moscou estava fazendo sobre uso de armas nucleares.

Ainda nesta quarta, Vladimir Putin ameaçou usar armas nucleares para o Ocidente e disse, durante um pronunciamento pela TV, que “isto não é um blefe”. O líder russo anunciou também que convocou cerca de 300 mil cidadãos da reserva para se unirem às tropas russas na Ucrânia.

O presidente norte-americano afirmou que ninguém havia ameaçado a Rússia, apesar de suas alegações e que apenas Putin havia procurado conflito. “A guerra na Ucrânia é a guerra de um homem só”, disse se referindo ao presidente russo.

Logo depois Biden alertou sobre os perigos de investimentos em armamentos nucleares, citando nesse caso a Rússia e a China. “Uma guerra nuclear não pode ser vencida e nunca deve acontecer”.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.