Publicado em 20/09/2022 às 15h28.

PepsiCo encerra produção de refrigerantes na Rússia seis meses após anunciar saída

Decisão foi tomada depois que a Rússia invadiu a Ucrânia

Redação
Imagem: Reprodução/YouTube
Imagem: Reprodução/YouTube

 

Quase seis meses após anunciar que iria suspender a produção e venda de refrigerantes na Rússia, devido a invasão da Ucrânia, a PepsiCo parou de fabricar os refrigerantes Pepsi, 7UP e Mountain Dew.

O comunicado da empresa norte-americana veio depois que a Reuters visitou dezenas de supermercados, varejistas e academias em Moscou e em outras cidades e encontrou latas e garrafas de Pepsi impressas com datas de produção de julho e agosto vindas de fábricas na Rússia. A data mais recente de um produto da companhia era de 17 de agosto.

Em nota enviada à Reuters, a empresa afirmou que parou de fabricar concentrados para PepsiCola, Mirinda, 7Up e Mountain Dew na Rússia.

“Todos os concentrados foram posteriormente esgotados na Rússia e a produção terminou”, disse um porta-voz da PepsiCo em 8 de setembro, nos primeiros comentários públicos sobre o assunto desde que a empresa anunciou, no início de março, que estava suspendendo a produção, vendas, atividades promocionais e publicidade na Rússia.

O Ocidente não sancionou comidas e bebidas como parte de medidas abrangentes destinadas a punir a Rússia por suas ações na Ucrânia.

Em 2021, a Rússia era o terceiro maior mercado da Pepsi, depois dos Estados Unidos e do México.

A produção da rival Coca-Cola na Rússia também continuou depois que a empresa disse em março que suspenderia as operações.

A PepsiCo disse em março que continuaria a vender produtos essenciais diários, como leite e outros produtos lácteos, fórmulas infantis e alimentos para bebês na Rússia.

A empresa opera na Rússia há mais de 60 anos e suas colas eram um dos poucos produtos ocidentais permitidos na União Soviética antes de seu colapso.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.