Publicado em 19/07/2019 às 10h40.

Acusado de matar enfermeira a mando do ex-namorado vai a júri popular neste mês

O servidor público Antônio Valverde, mandante do crime, foi preso preventivamente na quinta-feira (18)

Redação
Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

 

Um dos acusados de matar a enfermeira Rosângela Gomes Costa, em Alagoinhas, vai a júri popular no dia 29 de julho. De acordo com a Polícia Civil, Lenildo Santos da Silva esfaqueou a mulher a mando do ex-namorado dela, o servidor público Antônio Roberto Freitas Valverde Júnior. 

O crime foi cometido juntamente com Edson Alves dos Santos, que recorreu da decisão que autorizava o seu julgamento popular. O recurso será apreciado pelo Tribunal de Justiça da Bahia. 

De acordo com a denúncia, oferecida pelo Ministério Público (MP-BA), Antônio prometeu pagar R$ 1,5 mil para os acusados, denunciados como autores do feminicídio. Rosângela foi morta no dia 20 de abril de 2017, dentro de casa. O motivo seria “ciúmes”.

Na quinta-feira (18), Antônio Valverde, 37 anos, também foi preso. A delegada Amanda Brito, da 1ª Delegacia Territorial (DT/Alagoinhas), cumpriu o mandado de prisão preventiva no bairro Alagoinhas Velha.

Relembre o caso

“Antônio e Rosângela tinham um relacionamento conturbado, marcado pelos ciúmes e cobranças da parte do agressor”, informou a Polícia Civil. Ele encomendou a morte da enfermeira pela quantia de R$ 1,5 mil, paga a Edvan Alves dos Santos e Lenildo Santos da Silva, que assassinaram Rosângela a socos e facadas.

O corpo de Rosângela foi encontrado em um dos quartos da casa dela, no bairro do Barreiro. A vítima estava vendada e tinha os braços amarrados. Edvan e Lenildo foram presos logo após o crime e permanecem no sistema prisional.

De acordo com a delegada Amanda Brito, Antônio Valverde, que é natural da cidade do Rio de Janeiro, mandou matar a namorada por considerar que ela não dava importância ao relacionamento e supostamente se relacionava com outras pessoas.

O crime cometido contra Rosângela Costa marcou a cidade de Alagoinhas, destacou o MP-BA. A vítima dá nome à Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) do município, inaugurada em maio de 2017. 

PUBLICIDADE