Publicado em 15/06/2019 às 18h35.

Bolsonaro defende Moro, mas diz que não existe confiança 100%

"Eu não frequento a casa dele", declarou o presidente em entrevista a jornalistas neste sábado

Redação
Foto: Isaac Amorim/Divulgação Ministério da Justiça
Foto: Isaac Amorim/Divulgação Ministério da Justiça

 

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) defendeu o legado do seu ministro da Justiça, Sergio Moro, ao comentar neste sábado (15) a divulgação de novos trechos de conversas privadas nas quais o então juiz passa orientações a procuradores da Lava Jata. Bolsonaro, porém, disse que não existe confiança 100%.

“Eu não sei das particularidades da vida do Moro. Eu não frequento a casa dele. Ele não frequenta a minha casa por questão até de local onde moram nossas famílias. Mas, mesmo assim, meu pai dizia para mim: Confie 100% só em mim e minha mãe”, disse Bolsonaro, em rápida entrevista na porta do Palácio do Alvorada, em Brasília.

Indagado se os diálogos entre o então juiz e o procurador chefe da Lava Jato, Deltan Dallagnol, não representariam irregularidades, o presidente ressaltou os resultados da atuação de Moro no combate à corrupção.

“Tem um crime de invadir o celular do caboclo lá [Deltan]. E outra, tem programa que eu tive acesso de você forjar conversa e ponto final. O que interessa? O Moro foi responsável, não por botar um ponto final, mas por buscar uma inflexão na questão da corrupção”, disse o presidente, segundo a Folha de S. Paulo.

“E mais importante: [Moro] livrou o Brasil de mergulhar em uma situação semelhante a da Venezuela. Onde estaria em jogo não o nosso patrimônio, mas a nossa liberdade”, afirmou Bolsonaro.

PUBLICIDADE