Publicado em 13/08/2019 às 12h40.

Florence sobre novos diálogos: ‘A quem Moro servia ao não investigar Cunha?’

Para deputado petista, o hoje ministro da Justiça e Segurança Pública deve ser exonerado e denunciado pelo próprio governo Bolsonaro

Alexandre Santos
Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil
Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil

 

O deputado federal Afonso Florence (PT) afirmou que, diante dos últimos diálogos divulgados pelo BuzzFeed News em parceria com o site The Intercept Brasil, o ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) deveria ser exonerado pelo governo Jair Bolsonaro (PSL).

As novas revelações apontam que, na véspera da prisão de Eduardo Cunha (MDB-RJ), o então juiz da Operação Lava Jato instruiu instruiu procuradores da força-tarefa a não recolherem os celulares do ex-presidente da Câmara dos Deputados. A conversa ocorreu em 18 de outubro de 2016.

“Primeiro, Sergio Moro se mantém no cargo de um governo do qual o presidente é Bolsonaro. Eles se merecem. Esse último diálogo divulgado pelo Intercept é impressionante. Acho que todos nós ficamos perplexos e com a mesma pergunta no ar: a quem Sergio Moro servia quando não investigava Eduardo Cunha? Quando blindava Eduardo Cunha. Quando orientou para não ter uma delação premiada com Eduardo Cunha. A quem Sergio Moro servia?”, questionou o deputado em entrevista à TV 247, veiculada no YouTube nesta segunda-feira (12).

“É obvio que em qualquer República, em qualquer governo que tenha um mínimo de zelo pela sua retidão de condução do trabalho de combate a corrupção, Sergio Moro já teria sido demitido, exonerado e denunciado pelo próprio governo. A Polícia Federal, o Ministério Público têm que ter independência em relação ao próprio Executivo. Nós, quando formos governo, fizemos isso”, acrescentou o petista.

PUBLICIDADE